Vetores de Doenças

Pragas Urbanas

Descrição: 
Pragas urbanas são espécies de insetos ou animais que infestam os campos e cidades provocando danos à nossa saúde. E podem picar, morder, danificar alimentos e objetos e ainda transmitir doenças ao homem. Elas geralmente se procriam no inverno e se espalham no verão, época em que as baratas, ratos, mosquitos, moscas, cupins, pombos, formigas e outros são mais vistos. As pragas migram para as zonas urbanas buscando alimentação e abrigo, o que é proporcionado pelo próprio homem, quando esses mantêm ambientes sujos e quando depositam lixo em locais inadequados. Dentre as principais espécies encontradas em áreas urbanas destaca-se as baratas, os pombos e as formigas. São necessárias algumas ações para a prevenção do deslocamento de pragas para as áreas urbanas, como: não amontoar lixo ou materiais em desuso, manter alimentos em locais fechados, vistoriar depósitos e locais onde alimentos são armazenados periodicamente, mantendo o local sempre limpo. Ao detectar a presença de qualquer espécie é importante acionar uma equipe especializada em controlar pragas e vetores para que o local seja inspecionado e, após a inspeção, seja realizada a erradicação de tais espécies. A apresentadora Marcela Morato conversa com o pesquisador e professor do Laboratório de Vetores da ENSP/Fiocruz, Eduardo Dias Wermelinger sobre essas pragas.

Vetores da Doença de Chagas no Brasil (Região Sul)

Descrição: 
Bloco de cartões ilustrados sobre os vetores da doença de Chagas no Brasil, desenvolvido em 2013 pelo Laboratório Nacional e Internacional de Referência em Taxonomia de Triatomíneos do Instituto Oswaldo Cruz da Fundação Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz) e editores:  José Jurberg, Cleber Galvão, Dayse Rocha, Felipe F. F. Moreira, Carolina Dale, Juliana M.S. Rodrigues, Valdir D. Lamas Jr. e Vanda Cunha. Laboratório Nacional e Internacional de Referência em Taxonomia de Triatomíneos.  Os blocos de cartões ilustrados, contribuem para ajudar na identificação dos vetores da doença. O material poderá ser utilizado por técnicos que fazem vistorias e coletam os barbeiros e, também, em ações de educação em saúde. Como a distribuição das espécies de barbeiros é bastante distinta no país, foram produzidos cinco conjuntos de cartões, um para cada região do Brasil (Região Norte; Região Sul; Região Sudeste; Região Nordeste; Região Centro-Oeste).
Inscreva-se em Vetores de Doenças