Instituto Oswaldo Cruz

Fiocruz no Ar: Infecção Hospitalar [desinfecção das mãos]

Descrição: 
Infecções provocadas por bactérias resistentes matam cerca de 700 mil pacientes por ano, segundo dados da União Europeia para Saúde e Segurança Alimentar. Estudos apontam que este número pode chegar a 10 milhões de pessoas em 2050. Um dos principais focos das infecções provocadas por bactérias resistentes está nos hospitais. No Brasil, a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas/OMS) estima que a taxa de infecções hospitalares atinja 14% das internações. Medidas simples podem ajudar a evitar a problema como a frequente lavagem das mãos, tanto por parte dos visitantes quanto da equipe dos profissionais de saúde.

CRISPR/Cas 9 (Português)

Descrição: 
Vídeo produzido por estudantes do curso de pós-graduação em Biologia celular e molecular do Instituto Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, Brasil. Publicado em 03/09/2015 no canal YouTube BR por David Forrest (Equipe: Bianca Henriques; David Forrest; Gerson Profeta; Jéssica Pereira; Tainá Neves; Violeta Llanos). Uma explicação do sistema CRISPR-Cas9, mecanismos e aplicações básicas. Em 1987, pequenas sequências de DNA viral foram identificadas no genoma bacteriano de E. Coli. Mais de 15 anos depois, pesquisadores caracterizaram uma região do genoma bacteriano que continha muitas dessas sequências, cada uma flanqueada por um sítio de repetição. Estes sítios foram nomeados como CRISPR locus e as repetições como CRISPR repeats. Atualmente empregada como ferramenta da engenharia genética, que podemos utilizar esses agrupados de curtas repetições palindrômicas regularmente interespaçadas. Originalmente denominada: Clustered; Regularly; Interspaced; Short; Palindromic; Repeats. Após elucidado o mecanismo pelo qual o sistema CRISPR/Cas9 atua em procariotos, pesquisadores viram nesse sistema um alto potencial para ser empregado na edição e manipulação gênica.

Conceitos e Métodos para a Formação de Profissionais em Laboratórios de Saúde - v.5

Descrição: 
A coletânea de livros intitulada Conceitos e Métodos para a Formaçãode Profissionais em Laboratórios de Saúde, organizada por Etelcia MoraesMolinaro, Luzia Fátima Gonçalves Caputo e Maria Regina Reis Amendoeira éantes de tudo uma obra original, importante e necessária. Original porque nãoexiste na literatura técnica em saúde, na área biomédica brasileira e internacional,pelo menos que eu saiba, algo semelhante em abrangência, profundidadee seleção dos temas abordados; importante pelo público alvo a que se destina,muito além da “Formação de Técnicos de Laboratórios”, abrangendo certamentetodos os profissionais de saúde, e é necessária porque servirá comoobra de referência para a formação dos mencionados técnicos e de consultaobrigatória para todos os profissionais de saúde que necessitem de esclarecimentodos aspectos técnicos ali abordados. O volume 5 da coleção Conceitos e Métodos para a Formação de Profissionais em Laboratórios de Saúde trata dos temas: Protozoologia, Introdução à helmintologia, Metodologia básica para a coleta e o processamento de helmintos parasitos, Entomologia e Malacologia.

Vetores da Doença de Chagas no Brasil (Região Centro-Oeste)

Descrição: 
Bloco de cartões ilustrados sobre os vetores da doença de Chagas no Brasil, desenvolvido em 2013 pelo Laboratório Nacional e Internacional de Referência em Taxonomia de Triatomíneos do Instituto Oswaldo Cruz da Fundação Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz) e editores:  José Jurberg, Cleber Galvão, Dayse Rocha, Felipe F. F. Moreira, Carolina Dale, Juliana M.S. Rodrigues, Valdir D. Lamas Jr. e Vanda Cunha. Laboratório Nacional e Internacional de Referência em Taxonomia de Triatomíneos.  Os blocos de cartões ilustrados, contribuem para ajudar na identificação dos vetores da doença. O material poderá ser utilizado por técnicos que fazem vistorias e coletam os barbeiros e, também, em ações de educação em saúde. Como a distribuição das espécies de barbeiros é bastante distinta no país, foram produzidos cinco conjuntos de cartões, um para cada região do Brasil (Região Norte; Região Sul; Região Sudeste; Região Nordeste; Região Centro-Oeste).

Vetores da Doença de Chagas no Brasil (Região Sul)

Descrição: 
Bloco de cartões ilustrados sobre os vetores da doença de Chagas no Brasil, desenvolvido em 2013 pelo Laboratório Nacional e Internacional de Referência em Taxonomia de Triatomíneos do Instituto Oswaldo Cruz da Fundação Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz) e editores:  José Jurberg, Cleber Galvão, Dayse Rocha, Felipe F. F. Moreira, Carolina Dale, Juliana M.S. Rodrigues, Valdir D. Lamas Jr. e Vanda Cunha. Laboratório Nacional e Internacional de Referência em Taxonomia de Triatomíneos.  Os blocos de cartões ilustrados, contribuem para ajudar na identificação dos vetores da doença. O material poderá ser utilizado por técnicos que fazem vistorias e coletam os barbeiros e, também, em ações de educação em saúde. Como a distribuição das espécies de barbeiros é bastante distinta no país, foram produzidos cinco conjuntos de cartões, um para cada região do Brasil (Região Norte; Região Sul; Região Sudeste; Região Nordeste; Região Centro-Oeste).

Vetores da Doença de Chagas no Brasil (Região Sudeste)

Descrição: 
Bloco de cartões ilustrados sobre os vetores da doença de Chagas no Brasil, desenvolvido em 2013 pelo Laboratório Nacional e Internacional de Referência em Taxonomia de Triatomíneos do Instituto Oswaldo Cruz da Fundação Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz) e editores:  José Jurberg, Cleber Galvão, Dayse Rocha, Felipe F. F. Moreira, Carolina Dale, Juliana M.S. Rodrigues, Valdir D. Lamas Jr. e Vanda Cunha. Laboratório Nacional e Internacional de Referência em Taxonomia de Triatomíneos. Os blocos de cartões ilustrados, contribuem para ajudar na identificação dos vetores da doença. O material poderá ser utilizado por técnicos que fazem vistorias e coletam os barbeiros e, também, em ações de educação em saúde. Como a distribuição das espécies de barbeiros é bastante distinta no país, foram produzidos cinco conjuntos de cartões, um para cada região do Brasil (Região Norte; Região Sul; Região Sudeste; Região Nordeste; Região Centro-Oeste).

Vetores da Doença de Chagas no Brasil (Região Nordeste)

Descrição: 
Bloco de cartões ilustrados sobre os vetores da doença de Chagas no Brasil, desenvolvido em 2013 pelo Laboratório Nacional e Internacional de Referência em Taxonomia de Triatomíneos do Instituto Oswaldo Cruz da Fundação Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz) e editores:  José Jurberg, Cleber Galvão, Dayse Rocha, Felipe F. F. Moreira, Carolina Dale, Juliana M.S. Rodrigues, Valdir D. Lamas Jr. e Vanda Cunha. Laboratório Nacional e Internacional de Referência em Taxonomia de Triatomíneos. Os blocos de cartões ilustrados, contribuem para ajudar na identificação dos vetores da doença. O material poderá ser utilizado por técnicos que fazem vistorias e coletam os barbeiros e, também, em ações de educação em saúde. Como a distribuição das espécies de barbeiros é bastante distinta no país, foram produzidos cinco conjuntos de cartões, um para cada região do Brasil (Região Norte; Região Sul; Região Sudeste; Região Nordeste; Região Centro-Oeste).

Vetores da Doença de Chagas no Brasil (Região Norte)

Descrição: 
Bloco de cartões ilustrados sobre os vetores da doença de Chagas no Brasil, desenvolvido em 2013 pelo Laboratório Nacional e Internacional de Referência em Taxonomia de Triatomíneos do Instituto Oswaldo Cruz da Fundação Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz) e editores:  José Jurberg, Cleber Galvão, Dayse Rocha, Felipe F. F. Moreira, Carolina Dale, Juliana M.S. Rodrigues, Valdir D. Lamas Jr. e Vanda Cunha. Laboratório Nacional e Internacional de Referência em Taxonomia de Triatomíneos. Os blocos de cartões ilustrados, contribuem para ajudar na identificação dos vetores da doença. O material poderá ser utilizado por técnicos que fazem vistorias e coletam os barbeiros e, também, em ações de educação em saúde. Como a distribuição das espécies de barbeiros é bastante distinta no país, foram produzidos cinco conjuntos de cartões, um para cada região do Brasil (Região Norte; Região Sul; Região Sudeste; Região Nordeste; Região Centro-Oeste).

Estudo dos triatomíneos - anexos do módulo 3

Descrição: 
Anexos do Módulo 3 do Manual de capacitação na detecção de trypanosoma cruzi para microscopistas de malária e laboratoristas de malária e laboratoristas da rede pública. Esta apostila, originária do Laboratório de Doenças Parasitárias do Instituto Oswaldo Cruz/Fiocruz, foi idealizada para cursos de capacitação de técnicos no diagnóstico parasitológico da infecção chagásica, na identificação de vetores e na conduta com pacientes com doença de Chagas na Amazônia Brasileira desde 2006, se transformou, em 2008, em um manual para uso nos nove países da Região Amazônica, graças ao apoio da Organização Pan-Americana da Saúde. Em 2012 foi lançada a 2ª edição revisada e atualizada para ser distrubuída seguindo o mesmo fluxo da primeira. O manual é o fruto do esforço de vários profissionais - pesquisadores, técnicos e estudantes, particularmente das Dras. Angela Cristina Verissimo Junqueira e Teresa Cristina Monte Gonçalves (coordenadoras) e dos Drs. Carlos José de Carvalho Moreira e Pedro Albajar Viñas, e tantos outros consultores e colaboradores, relacionados no seu início com as respectivas instituições a que pertencem.

Jogo Trilhas

Descrição: 
O jogo realiza um passeio cultural e científico pelo Estado do Rio de Janeiro. A partir do “Mapa da Ciência”, apresenta em catálogo impresso e CD-ROM a distribuição geográfica e as principais funções de entidades de ensino superior, de pesquisa científica e tecnológica, museus e acervos históricos do Estado. Informações: Laboratório de Educação em Ambiente e Saúde/IOC zigzaids@ioc.fiocruz.br Tel: (21) 2562-1607 

Páginas

Inscreva-se em Instituto Oswaldo Cruz