PORTELA,, Margareth Crisóstomo

Abordagens de Saúde Pública e Saúde Coletiva nos novos Programas de Pós-Graduação da ENSP - Margareth Portela

Descrição: 
Palestra de Margareth Crisóstomo Portela. O arquivo está disponível para leitura e/ou download por meio do ícone ao lado.

Estudo de Carga Global de Doença no Brasil, em 1998.

Descrição: 
Arquivo de texto contendo o Estudo de Carga Global de Doenças, produzido por uma equipe de pesquisadores da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, no ano de 1998, e coordenada pelo Pesquisador Joaquim Gonçalves Valente. A apresentação contém as diretrizes, os objetivos do projeto, as metodologias utilizadas, os processos decisórios para o estudo e os principais resultados selecionados pelos pesquisadores. O indicador utilizado é o ‘DALY’ (Desability Adjusted Life Years), em português: Vida perdida ajustada por incapacidade, onde foram exemplificadas várias maneiras de calcular a carga de doença com esta potente ferramenta. O trabalho também aponta os grupos e regiões estudadas, as potencialidades do método, as estatísticas da OMS segundo sexo e idade, os procedimentos envolvidos na estimação da mortalidade, os problemas que possam ocorrer, suas possíveis causas e como corrigi-los.

Abertura do Ano Letivo da Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca - 2008.

Descrição: 
Arquivo de áudio contendo a cerimônia de abertura do ano letivo de 2008 na ENSP, que contou com as participações do Presidente da FIOCRUZ, Paulo Buss, do Diretor da Escola, Antônio Ivo de Carvalho, da Vice-Presidente de Ensino, Informação e Comunicação, Maria do Carmo Leal, do Presidente da ABRASCO, José da Rocha Cavalheiro, e dos quatro Vice-Diretores da Escola, Maria Helena Mendonça (Pós-Graduação), Carlos Machado de Freitas (Escola de Governo), Margareth Portela (Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico), Vanessa Costa e Silva (Desenvolvimento Institucional e Gestão) e da Palestrante convidada Rita Barradas Barata, que é Coordenadora da Área de Saúde Coletiva da CAPES/MEC e Professora da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (FCMSCSP).

Apresentação da ENSP aos novos alunos 2008.

Descrição: 
Arquivos de áudio e texto contendo a apresentação da Coordenadora da Pós-Graduação da ENSP, Maria Helena Mendonça, que apresentou aos novos alunos um panorama dos 40 anos de atividade do programa de pós-graduação da ENSP. Na ocasião também foram apresentados aos alunos os Coordenadores Carlos Machado de Freitas (Escola de Governo), Margareth Portela (Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico) e Vanessa Costa e Silva (Desenvolvimento Institucional e Gestão). Cada Coordenador falou um pouco sobre as atividades desempenhadas por cada coordenação e como os alunos podem melhorar sua interação com elas.

Aspectos gerenciais de hospitais filantrópicos no Brasil: Comparando os hospitais com planos de saúde próprios com o conjunto de hospitais do setor.

Descrição: 
Apresentação que aborda aspectos importantes sobre o papel da saúde suplementar no SUS, comparando o desempenho gerencial dos hospitais filantrópicos, que tem plano de saúde próprio, com hospitais filantrópicos que não tem convênios com planos de saúde. A pesquisa foi realizada em 69 hospitais representativos da totalidade de hospitais e 94 hospitais com operadoras próprias de planos de saúde, ambos com menos de 599 leitos prestadores do SUS. A análise dos dados revelou que os hospitais filantrópicos, com planos de saúde próprios, parecem ter maior preocupação com a qualidade dos serviços prestados aos usuários e um dos pontos críticos para todos os hospitais pesquisados é com relação aos recursos humanos, seja capacitação permanente, incentivos ou redução de rotatividade. Outro fato constatado na pesquisa foi que os hospitais filantrópicos desempenham papel importante tanto para saúde suplementar quanto para o SUS, pois 1/3 dos leitos oferecidos pelo SUS estão nos hospitais filantrópicos.

Estudo dos prestadores hospitalares frente às práticas de regulação das operadoras de planos de saúde.

Descrição: 
Apresentação que tem como objetivo conhecer e analisar os mecanismos de regulação praticados pelas operadoras de planos de saúde sobre os prestadores de serviços hospitalares e de que forma esses mecanismos repercutem sobre as práticas dos hospitais. Mostra um quadro com a distribuição dos hospitais pelas macroregiões brasileiras, segundo o qual 63% desses hospitais estão concentrados na região sul e sudeste do país, sendo que desse total, 266 são hospitais próprios de alguma operadora, enquanto 3.688 são hospitais credenciados de operadoras. O estudo foi feito com foco em quatro diferentes pontos de vista: Caracterização do hospital, qualificação da atenção, micro-regulação exercida pelas operadoras e contratualização dos serviços. Entre outros pontos positivos, essa pesquisa mostrou a dimensão das principais operadoras de planos de saúde para as quais os hospitais são prestadores em volume de faturamento.

Estudo sobre a utilização de diretrizes clínicas na saúde suplementar.

Descrição: 
Apresentação que trata das diretrizes clínicas destinadas a profissionais que atuam na saúde suplementar para a identificação do estado de saúde de pacientes e seus riscos. As diretrizes clínicas são procedimentos desejáveis que apresentam diagnósticos e prognósticos de prevenção, tratamento ou reabilitação que proporcionam a identificação rápida do estado de saúde de cada paciente, seus riscos e potenciais benefícios do uso de intervenções e seus valores e expectativas pessoais. As diretrizes proporcionam maior eficiência nos procedimentos médicos e melhora a qualidade do atendimento.
Inscreva-se em PORTELA,, Margareth Crisóstomo