Fiocruz

Onde está o dinheiro da saúde?

Descrição: 
As informações sobre os orçamentos públicos dos municípios, estado e União são de acesso público e gratuito a qualquer cidadão brasileiro. No entanto, as informações são apresentadas em uma linguagem contábil e específica do campo da saúde e o cidadão desprovido de conhecimentos sobre contabilidade e administração pública, ou mesmo com um baixo grau de escolaridade, não consegue compreender com clareza o conteúdo dos relatórios disponibilizados pelo sistema. Assim, faz-se necessário a tradução tanto para o cidadão usuário do SUS, quanto para os conselheiros de saúde com os mais diferentes níveis de instrução.

Por que higienizar as mãos?

Descrição: 
Vídeo que instrui os profissionais de saúde sobre a importância da higienização das mãos na assistência a saúde. O material apresenta como higienizar corretamente as mãos.

Síndrome Alcoólica Fetal (SAF): um alerta para as gestantes

Descrição: 
Vídeo elaborado para instruir as gestantes sobre as síndromes causadas através do consumo de bebias alcoólicas durante a gravidez.

Onde está o dinheiro da saúde?

Descrição: 
Aplicativo idealizado pela pesquisadora Islândia Maria Carvalho de Sousa, doutora em saúde pública pela Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (Ensp/Fiocruz), que atua no Departamento de Saúde Coletiva da Fiocruz Pernambuco - Instituto Aggeu Magalhães. A iniciativa é um dos resultados do incentivo da Vice-presidência de Educação, Informação e Comunicação – por meio do Campus Virtual Fiocruz – a projetos com foco em acesso aberto. As informações sobre os orçamentos públicos dos municípios, estado e União são de acesso público e gratuito a qualquer cidadão brasileiro. No entanto, as informações são apresentadas em uma linguagem contábil e específica do campo da saúde e o cidadão desprovido de conhecimentos sobre contabilidade e administração pública, ou mesmo com um baixo grau de escolaridade, não consegue compreender com clareza o conteúdo dos relatórios disponibilizados pelo sistema. Assim, faz-se necessário a tradução tanto para o cidadão usuário do SUS, quanto para os conselheiros de saúde com os mais diferentes níveis de instrução. A perspectiva é que, com as informações corretas, o cidadão possa acompanhar mais de perto os investimentos em saúde realizados em seu município e possa também avaliar os investimentos dos governos federal e estadual no seu município. Com o aplicativo, qualquer cidadão brasileiro pode acompanhar os investimentos em saúde pública. Usamos uma linguagem simples e o acesso é livre para que todos saibam como seu dinheiro está sendo aplicado. Na prática, estamos falando de oferecer mais transparência em relação ao uso do dinheiro público. Para instalação do aplicativo click no link abaixo

Curso Virtual sobre Chikungunya

Descrição: 
Este curso, ofrecido en la modalidad a distancia, tiene como principal objetivo instrumentalizar a los profesionales que actúan en el área de la salud para el manejo clínico profesional oportuno dentro de la atención que se ofrece en el primer nivel, a las personas afectadas por la fiebre de chikungunya. El curso está dividido en dos partes: La unidad 1 contiene información sobre la epidemiología, el cuadro clínico, el diagnóstico, las acciones de vigilancia y la organización del servicio de salud para el chikungunya, además de presentar la importancia de la educación permanente en salud. El material didáctico se compone de materiales en medios variados. Los contenidos de los vídeos y los textos son complementarios y por lo tanto se recomienda que ambos sean explorados con atención. La unidad 2 contiene casos clínicos donde el participante podrá pensar sobre la mejor forma de manejar los casos con sospechas de tener esta enfermedad.

Chikungunya Virtual Course

Descrição: 
This course is offered for professionals that are from the health area, in the distance learning modality, its main objective is to train the students for the professional health clinical management inserted in the welcome basic care for people affected by the chikungunya fever. Because it deals with a disease that was recently introduced in the country it is important to health providers to develop skills that can give the proper healthcare to the population. The course is divided in two parts: Unit 1 gives information about the epidemiology, clinical picture, diagnostic, health monitoring, organization of the health service, as well as to present the importance of the continued education on health. The class material is a mixture of various medias. The videos’ content and texts are complementary so we recommend that both are used with attention. Unit 2 presents clinical cases that will make the student think about the best practice to deal with the patients who are suspected of this disease.

Fiocruz inicia estudo com mosquitos que podem reduzir a transmissão da dengue no IOC Fiocruz (vídeo)

Descrição: 
Vídeo da etapa inicial do Projeto ‘Eliminar a Dengue: Desafio Brasil’ com o coordenador do projeto, o pesquisador Luciano Moreira que explica os estudos já realizados com sucesso na Austrália, Vietnã e Indonésia, a fase de estudos de campo conta com a liberação de mosquitos Aedes aegypti com a bactéria Wolbachia que objetiva reduzir a transmissão do vírus do mosquito da dengue. O primeiro local a participar é o bairro de Tubiacanga, localizado na Ilha do Governador, na cidade do Rio de Janeiro, e estudado pela equipe do projeto desde 2012. Esta é a primeira vez em que um país nas Américas recebe o estudo. O projeto conta com a participação do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz), Centro de Pesquisas René Rachou (Fiocruz/Minas) e Programa de Computação Científica (PROCC/Fiocruz).

Fiocruz inicia estudo com mosquitos que podem reduzir a transmissão da dengue

Descrição: 
Infográfico elaborado por Cristiane Albuquerque e Vinícius Ferreira do Instituto Oswaldo Cruz/Fiocruz que descrevem a etapa inicial do projeto 'Eliminar a Dengue: desafio Brasil'. Luciano Moreira, pesquisador da Fiocruz é o coordenador do projeto. Já realizada com sucesso na Austrália, Vietnã e Indonésia, a fase de estudos de campo conta com a liberação de mosquitos Aedes aegypti com a bactéria Wolbachia. O projeto tem o apoio do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz), do Centro de Pesquisas René Rachou (Fiocruz/Minas) e do Programa de Computação Científica (PROCC/Fiocruz). O primeiro local a participar é o bairro de Tubiacanga, na Ilha do Governador, na cidade do Rio de Janeiro, estudado pela equipe do projeto desde 2012. Esta é a primeira vez que um país nas Américas recebe o estudo.

Oswaldo inspira: 100 anos sem Oswaldo Cruz (1872-1917)

Descrição: 
Infográfico sobre o centenário de falecimento de Oswaldo Cruz. No dia 11 de fevereiro de 1917. Há 100 anos, o Brasil perdia Oswaldo Gonçalves Cruz, o grande cientista, médico e sanitarista, apaixonado por aquilo que os olhos humanos enxergam apenas dotados de um microscópio e pela possibilidade de agir – não sem dificuldades – sobre a realidade da saúde pública. Capaz de promover transformações imediatas no país, Oswaldo Cruz deixou inspiração para gerações de brasileiros dedicados, como ele foi, ao ideal de "fé eterna na Ciência". A biografia deste cientista notável, já largamente explorada, acumula as vitórias sobre a peste bubônica, a febre amarela e a varíola, bem como a fundação, em Manguinhos, da medicina experimental no país – numa lógica de pesquisa associada ao ensino e à produção que ainda hoje pauta as atividades da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). O projeto "Oswaldo Inspira: 100 anos sem Oswaldo Cruz (1872-1917)", criado pelo Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz) em homenagem ao seu patrono, traz um mosaico de aspectos buscando traçar a figura multifacetada do cientista. O filho devotado, o pai e marido amoroso. O menino tímido, que concluiu a faculdade de medicina aos 20 anos. O "mestre", como os discípulos de primeira hora o tratavam. O amante de doces, que guardava guloseimas no gabinete em meio aos livros. O gestor ousado capaz de medidas impopulares, que não esmorecia frente à difamação e rumava ao túmulo do pai quando precisava tomar decisões importantes. O chefe que pedia com voz branda e antecipava as necessidades daqueles que estavam à sua volta. O paciente de uma doença renal crônica que abreviou sua vida aos 44 anos de idade – a mesma que vitimara seu pai aos 47 anos, de forma igualmente precoce. Como principais fontes, foram priorizados os relatos de Carlos Chagas, Ezequiel Dias, Salles Guerra, Clementino Fraga e outros que conviveram diretamente com o cientista. Este projeto tem a alegria de acolher documentos de valor singular, gentilmente disponibilizados pela Casa de Oswaldo Cruz (COC/Fiocruz). Em especial, vem a público um acervo inédito que estava sob guarda do neto de Oswaldo Cruz, o também médico Eduardo Oswaldo Cruz, falecido recentemente: os álbuns que mostram a paixão do cientista pela fotografia.

Páginas

Inscreva-se em Fiocruz