UNA-SUS/UFMA oferece 10 mil vagas para curso sobre vigilância, prevenção e eliminação da tuberculose

UNA-SUS/UFMA oferece 10 mil vagas para curso sobre vigilância, prevenção e eliminação da tuberculose

A Universidade Federal do Maranhão, integrante da Rede UNA-SUS (UNA-SUS/UFMA), está com matrículas abertas para o novo curso online Vigilância, prevenção e eliminação da tuberculose como problema de Saúde Pública.  Voltada a profissionais que atuam no SUS, prioritariamente àqueles vinculados à Vigilância em Saúde e acadêmicos da área da Saúde, a capacitação tem como objetivo compreender as ações de vigilância, prevenção, diagnóstico e manejo de casos clínicos da tuberculose, com vistas à eliminação da doença como um problema de saúde pública no país.  A oferta é fruto da parceria com a Secretaria de Vigilância em Saúde, do Ministério da Saúde.

Com carga horária de 30 horas, o curso é autoinstrucional e tem início imediato. Interessados podem se matricular até o dia 15 de outubro, pelo site.

A tuberculose é uma doença infecciosa e transmissível, causada pelo Mycobacterium tuberculosis, que afeta prioritariamente os pulmões, embora possa acometer outros órgãos e sistemas. É um grave problema de saúde pública mundial e milhares de pessoas ainda adoecem e morrem devido à doença e suas complicações. Está intimamente associada à pobreza, às más condições de vida e de habitação e à aglomeração humana.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, anualmente são notificados cerca de seis milhões de novos casos de tuberculose em todo o mundo, levando mais de um milhão de pessoas a óbito. Nesse contexto, a compreensão da epidemiologia da doença, sua forma de transmissão e sua fisiopatogenia, além dos serviços disponíveis na rede de atenção à doença, são fundamentais para a construção de ações de promoção da saúde e prevenção da doença, vigilância e tratamento adequado à tuberculose.

Para Jorge Luiz da Rocha, responsável pelos conteúdos da primeira unidade do curso, entender os aspectos referentes à forma de transmissão, fisiopatogenia, determinantes sociais e as populações com maior vulnerabilidade é de extrema importância para o controle da tuberculose, pois “apesar de ser uma doença conhecida há milênios, ainda é considerada um grave problema de saúde pública”.

As três unidades da capacitação abordam o problema da tuberculose, detecção de casos e tratamento da doença. Os conteúdos trazem também histórico e epidemiologia da tuberculose, os determinantes sociais, notificação, monitoramento e registro dos casos, entre outros temas relacionados.