Direito à saúde como parte da transformação social

Durante o Seminário sobre Direitos Humanos, Saúde e Movimentos Sociais, promovido pelo Grupo de Direitos Humanos e Saúde Helena Besserman (Dihs/ENSP), no dia 23 de outubro, o coordenador do Núcleo de Humanidades, Migrações e Estudos da Universidade de Coimbra, Portugal, José Manuel Pureza, fez três afirmações importantes: direito à saúde só vale se for compreendido como parte da transformação social; os movimentos sociais são imprescindíveis; e a luta participativa pelo direito à saúde é hoje um campo privilegiado de combate ao entendimento neoliberal de saúde.