Cuidados de longa duração para a população Idoso: um novo risco social a ser assumido? - Ana Amélia Camarano

Descrição: 
Afirma que a demanda por cuidados está aumentando e a capacidade da família brasileira de cuidar de seus membros idosos está se reduzindo. Informa que o Estado brasileiro avançou no que diz respeito à garantia de uma renda familiar mínina para a população idosa, mas a provisão de serviços de saúde e de cuidados formais ainda é uma questão não equacionada. Fala sobre os tipos de cuidado, entre eles, o de longa duração, o informal, o formal e o institucional. Cuidado de longa duração é todo tipo de atenção prestada por longo tempo à pessoa com doença crônica ou deficiência que não pode cuidar de si mesma. Cuidado informal predomina em todo o mundo, e, geralmente, é prestado por cônjuges e/ou filhos. O cuidado formal é oferecido pelo Estado ou pelo setor privado. E o cuidado institucional refere-se a residências institucionais e, frequentemente, é utilizado como último recurso quando ocorre perda de capacidade mental e funcional do idoso. Cita as políticas de renda e saúde, que devem levar em consideração todo o ciclo de vida - promoção da saúde e acesso universal aos serviços de saúde durante toda a vida -, além da organização do Programa de Saúde da Família (PSF), com ampliação da cobertura e da equipe, especialmente no que diz respeito a profissionais qualificados para atividades de reabilitação. Com relação à renda, conclui que é necessário garantir o acesso dos idosos aos benefícios da seguridade social. Arquivo disponível para leitura e/ou download no ícone ao lado.

Linguagem:

Formato:

Fonte: 
CCI
Descrição dos direitos autorais: 
Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Não Adaptada (CC BY-NC-ND 3.0)