Fatores relacionados à não adesão das drogarias e farmácias de Tatuí-SP, no projeto das farmácias notificadroas.

Descrição: 
A farmacovigilância é realizada através de notificações voluntárias de suspeitas de reações adversas, de erros de medicações e de desvios de qualidade, por usuários e profissionais da saúde, através do preenchimento de formulários enviados a um banco de informações. Para ampliar as fontes de notificações, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), em parceria com o Conselho Regional de Farmácia (CRF) e Centro de Vigilância Sanitária (CVS) de cada Estado, introduziu o projeto das Farmácias Notificadoras. O presente trabalho teve o objetivo de determinar os fatores envolvidos à não adesão das drogarias e farmácias privadas de Tatuí/SP, em 2007, no projeto farmácias notificadoras. Realizou-se um estudo observacional descritivo, do tipo inquérito de Conhecimento, Atitude e Prática (CAP) aplicado aos farmacêuticos voluntários da pesquisa. Empregou-se análise estatística, utilizando-se a média para variáveis quantitativas e a exposição em tabelas, quadros e figuras para as variáveis qualitativas e quantitativas. Considerou-se nível de significância de 5%. Os resultados revelaram que os profissionais possuem conhecimento de farmacovigilância (95,24%) e atitude (95,24%), entretanto, a prática é limitada (6,0%). A baixa adesão ao projeto ocorre por falta de tempo, formação profissional tecnicista, desinteresse, falta de informação à sociedade sobre os benefícios dessa atividade e falta de apoio das entidades de classe. Espera-se mudar essa realidade com a atual introdução do perfil profissional generalista, a união das entidades de classe e a promoção da conscientização social sobre farmacovigilância.

Linguagem:

Formato:

Fonte: 
Biblioteca FCF-UNESP
Descrição dos direitos autorais: 
Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Não Adaptada (CC BY-NC-ND 3.0)

Tags (palavra-chave):