Doença de Chagas, doença do Brasil

Descrição: 
Arquivo de áudio contendo a palestra na íntegra da pesquisadora da Casa de Oswaldo Cruz, Simone Kropf, que é fruto de sua Tese de Doutorado defendida na Universidade Federal Fluminense, em 2006. A autora apresenta um relato da descoberta do “Trypanosoma Cruzi” ou Doença de Chagas no Brasil, no período de 1909 a 1962. A palestra tem como intuito mostrar como se deu o processo de construção e reconhecimento da doença, tanto como um fato científico como um problema de saúde pública. Simone destaca dois períodos históricos como base para esse processo: o primeiro, a partir das pesquisas de Carlos Chagas (1909 – 1934), e o segundo, dos discípulos de Chagas no Instituto Oswaldo Cruz (1935 – 1962). O primeiro período foi marcado por epidemias de malária e a identificação do Barbeiro o “Trypanosoma Cruzi”, onde a partir dessas descobertas Carlos Chagas define a doença em duas fases: Aguda e crônica, sendo que a crônica é responsável por três formas de distúrbios: Endócrinos, neurológicos e cardíacos. O impacto médico-social da doença foi enorme, principalmente depois da confirmação de 40 casos da doença em Minas Gerais (Lassance), Ocasionando questionamentos fora do Brasil e em especial pela Argentina, onde o parasito não era encontrado, constituindo-se um sério obstáculo ao progresso nacional. Em 1934, com o falecimento de Chagas, dá-se inicio ao segundo período histórico, marcado pela continuidade de seu trabalho por seus discípulos, com as pesquisas em Manguinhos. Em plena Era Vargas, com a modernização agrícola e a valorização do trabalho, novos acasos foram descobertos em Bambuí (MG) e começam a serem testados novos e poderosos inseticidas ao mesmo tempo em que são promovidas melhorias habitacionais. A autora relata que nesta época várias técnicas para definição da Doença de Chagas foram desenvolvidas em conjunto com o aperfeiçoamento da sorologia. Em 1950, teve inicio a guerra contra o Barbeiro, promovida pelo Serviço Nacional de Malária, quando os congressos médicos começaram a mobilizar grupos de pesquisa buscando a erradicação dos transmissores da doença em todo o continente. Já em 1960 a OMS reconhece a doença de chagas como um fato científico e uma questão de saúde pública, consolidando um olhar mais importante para as doenças tropicais brasileiras.
Objetivo educacional: 
Mostrar ao aluno, como se deu o processo de construção e reconhecimento da doença de Chagas, tanto como um fato científico e como um problema de saúde pública.

Linguagem:

Formato:

Fonte: 
Arq5717

Cobertura:

Descrição dos direitos autorais: 
Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Não Adaptada (CC BY-NC-ND 3.0)
Nível de agregação: 
1-Menor nível
Contexto Educacional: 
Aperfeiçoamento
Público Alvo: 
Estudantes e Profissionais da Saúde
Status: 
Final